Anáguas (Saiotes) e Forros: Definição, Funções, Tecidos e Cores

Modas

Você usa saias e vestidos? Se sim, você não pode deixar de saber o que são anáguas (saiotes) e forros, e para quê servem, pois são como um “acessório básico” feminino, principalmente em se tratando da modéstia cristã no vestir. Acompanhe o artigo e veja a definição, as funções, os tecidos adequados e as melhores cores para suas anáguas e forros cobrirem com maior eficiência as transparências dos tecidos!

1. Definição

Dá-se o nome de anágua à peça individual, também chamada “saiote” (um termo, digamos, “antigo”, que eu ouvia muito em minha infância), que funciona como uma “segunda saia”, de tamanho geralmente um pouco menor que a saia verdadeira. A anágua pode ser usada tanto com saias quanto com vestidos, de modo independente, por ser uma peça solta.

Dá-se o nome de forro ao tecido costurado no avesso de uma peça de roupa, de modo a formar uma peça única com ela, ou seja, ele é fixo à peça de roupa. Ao contrário da anágua, que é uma peça utilizada exclusivamente com saias e vestidos, o forro tem uma utilização bem mais ampla, podendo estar costurado no avesso não somente de saias e vestidos, mas também de mangas, blusas, casacos, blazers, tailleurs etc., para dar, de forma geral, melhor caimento, maior cobertura e/ou algum efeito ou embelezamento estético.

2. Funções

Basicamente, tanto a anágua quanto o forro podem cumprir as seguintes funções:

  • cobrir as transparências dos tecidos utilizados na confecção das roupas;
  • evitar que a saia/vestido grude no corpo;
  • assentar melhor a roupa ao corpo.
  • dar volume à peça de roupa.
  • alongar e servir de decoração para uma saia ou vestido de barra mais curta.

2.1. Cobrir transparências de tecidos

Uma das principais preocupações que nós, mulheres cristãs, devemos ter, além de nos preocuparmos com o desenho, corte e comprimento adequado de nossas roupas, é preocuparmo-nos com a transparência dos tecidos que são utilizados nas confecções das vestimentas femininas.

Atualmente, a utilização de transparências em roupas está totalmente em voga e de formas bastante imodestas. Transparências que mostram a pele de certas partes do corpo (como, por exemplo, costas, barriga, ombros, seios, pernas) e que deixam em evidência a roupa íntima feminina (como o sutiã ou mesmo a calcinha – acredite, isso é moda!) tornam a roupa vulgar, e vulgaridade não é algo que deve ser encontrado em vestimentas de mulheres cristãs.

As transparências nas roupas são louvadas e desejadas pelos modistas, fashionistas etc., porque proporcionam e aumentam a sensualidade feminina. Infelizmente, as mulheres cristãs estão aderindo a roupas com transparências, achando que sensualidade é sinônimo de beleza, mas isto é um grande engano, pois sensualidade é sinônimo de volúpia.[1] Jesus é amigo das almas castas, não das voluptuosas. O que é mais triste e lamentável é ver mulheres católicas, principalmente na Santa Missa, usando blusas que possuem transparências nas costas, nos ombros, na barriga, expondo partes do corpo que deveriam estar guardadas sob a salvaguarda da modéstia!

Todo tecido possui um grau de transparência, mesmo o mais, teoricamente, opaco e/ou escuro. Você já tentou ver se suas saias escuras são totalmente opacas quando utilizadas sem anáguas ou forros? Se não, veja, e você verá que a saia mais escura que você tiver ainda ficará transparente sob a luz do sol ou sob a incidência direta de uma luz artificial. Eu mesma tenho uma saia de tecido preto que é impossível de ser usada sem uma boa anágua. Veja como a anágua, que é de tricoline marrom, cobriu bem a transparência do tecido da saia, mesmo quando esta foi posta contra a luz natural da janela (eram mais ou menos umas 16h30min da tarde quando tirei estas fotos, estava bem ensolarado lá fora!).

Anáguas e Forros: Saia com anágua e sem anágua. Veja a diferença contra a luz natural da janela!
Anáguas e Forros: Saia com anágua e sem anágua. Veja a diferença contra a luz natural da janela!

Entretanto, nem toda anágua consegue cobrir a transparência de um tecido, especialmente as industriais, feitas de jersey/laycra. Há nestas alguns “pequenos grandes” problemas: os tecidos utilizados em sua confecção são sintéticos e, na maioria das vezes, transparentes. Além disso, o comprimento da maior parte delas é curto. Por causa desses tipos de problemas, ao meu ver, elas não são adequadas para serem usadas sozinhas por baixo de saias e vestidos. Quem só tem este tipo de anágua às vezes precisa usar duas delas, e no verão essa combinação vira um verdadeiro forno!!

Assim, considerando o que foi dito, é importante escolher bem o tecido da sua anágua, para que no verão ela fique fresquinha, no inverno, quentinha, e cubra toda e qualquer transparência das suas saias e vestidos. Digo o mesmo em relação aos forros. (Sobre tecidos para anágua, veja o item 3.)

2.2. Evitar que os tecidos grudem no corpo

Qual mulher nunca passou pela experiência de estar sentada numa cadeira e quando levantou perceber que a saia ficou toda colada na perna por conta do calor e do suor?? Mesmo tecidos de algodão podem aderir, especialmente no verão, quando a gente sua um monte. Neste sentido, a anágua e o forro ajudam a não deixar, pelo menos, a saia grudar em você, pois são eles que vão grudar, e assim você não tem que se preocupar nem ficar sem jeito se isto acontecer. Então, pode-se dizer que anágua e forro são amigos da modéstia cristã feminina! 🙂

2.3. Melhorar o assentamento da roupa

A anágua e o forro também ajudam a peça da roupa a assentar melhor no corpo, não marcando as formas femininas e dando melhor modelagem e caimento à peça de roupa. Um vestido forrado, por exemplo, fica muito mais ajeitado no corpo do que um que não possui forro; da mesma forma, as saias. Quem tem quadris largos sabe muito bem do que estou falando! O forro, ou a anágua feita com um bom tecido, não deixa o tecido da peça de roupa grudar no corpo, dá uma ajudinha com algumas “imperfeições”, e ainda deixa o vestido/saia com um “vestir perfeito” (ou quase perfeito). Peças com bom corte e caimento geralmente possuem forro, e isto é plenamente observável.

2.4. Dar volume à roupa

Quem desempenha esta função, de maneira geral, é a anágua. Em algumas ocasiões, ela pode ser usada para dar volume à roupa, como para vestidos de noiva, por exemplo, deixando a saia bastante armada e volumosa. Quanto ao forro, dificilmente ele será usado para a mesma função. Mulheres magrinhas ou sem quadril podem se beneficiar de uma anágua volumosa, pois ela dará uma forma mais arredondada nessa região do corpo.

2.5. Alongar e decorar uma saia de comprimento mais curto

Algo muito interessante de ser feito para quem está adaptando as roupas à modéstia cristã é utilizar anáguas decoradas com barras em bordado inglês ou outros tipos de detalhes para alongar o comprimento das saias e/ou servir-lhe de decoração. Existem anáguas muito mimosas, com barras todas trabalhadas, como na foto abaixo:

Anáguas e Forros: Anágua com barra decorada.
Anáguas e Forros: Anágua com barra decorada. Foto: Reprodução. Vista em Teus Vestidos.

Esta é uma opção para quem ainda está adaptando o guarda-roupa à modéstia cristã. Porém, este tipo de anágua não vai adiantar para saias muito curtas. As saias devem ter comprimento, no mínimo, no joelho para que a decoração não fique nem esquisita nem vulgar, e que cubra os joelhos na posição sentada.

3. Tecidos para anáguas e forros

O melhor tecido que eu já encontrei, até hoje, para confeccionar anáguas foi javanesa, um tipo de viscose. Infelizmente, parece que não se fabrica mais a tal da javanesa. Consegui arrematar os últimos 2 metros de uma última peça em uma loja da minha cidade natal, pois nem em Curitiba consegui encontrar 🙁 Se alguém souber onde encontro este tipo de tecido aqui e puder me informar, eu agradeço!!

Já para tecidos de forros, se for para saias e vestidos, eu prefiro javanesa, se for para blazers, casacos etc. eu prefiro cetim, pois como ele é “lisinho”, ele “escorrega” mais fácil na hora de vestir e deixa o avesso bem “elegante” por causa do brilho. Cetim para forro de saias e vestidos eu não recomendo (explico mais abaixo).

Há outras opções de tecidos para remediar a falta da javanesa. Sinceramente, alguns eu até acho bons pois são opacos, mas eles não contribuem para deixar a roupa assentada.

Eu fiz duas anáguas para mim utilizando tricoline e alpaca. A tricoline até deu um bom resultado, uso a anágua de tricoline com saias de malha, cambraia de algodão, crepe de algodão, e gosto do efeito; quanto à alpaca, ela não fica tão boa, fica armada, enfim, não recomendo para anáguas nem forros, até porque ela pinica a pele um pouco no início.

No verão, a anágua de tricoline dá conta do recado, pois é fresquinha, e as cores escuras dão boa cobertura de transparências. Já no inverno, ela costuma “grudar” nas meias-calças de lã, e aí ela enrola nas pernas. Quando eu uso casaco por cima, então, fica pior, pois ela gruda na meia e na saia, virando um bolo só e deformando o caimento da saia. Enfim, é uma tristeza! A javanesa, por outro lado, é perfeita na minha opinião, porque é fresquinha no verão e no inverno não gruda em nada. Javanesa, onde estás??

Ainda não encontrei nenhum tipo de tecido substituto à javanesa, mas vou continuar procurando. Existe o tal do failete, mas como ele é geralmente sintético eu não recomendo o uso no verão. Já vi pra vender o failete natural, mas não gostei do toque. De qualquer forma, talvez ele seja bom para o inverno. Ainda não fiz nenhuma anágua desse tipo de tecido, mas quando eu testar uma versão de anágua de failete, eu atualizarei este post.

Existe também a possibilidade de utilizar o cetim para confecção de anáguas e forros, mas eu, sinceramente, só o indico como forro de casacos, blazers e tailleurs, pois quem tem acúmulo de carga eletrostática (como eu) atrai o tecido ao menor andar, ou seja, o tecido literalmente gruda na pele. Talvez o cetim possa ser uma opção para o inverno, já que costumamos usar meias-calças de lã… mas como ainda não testei, não posso dizer como ele se comportaria com quem sofre desse pequeno “mal” de acúmulo eletrostático rs…

4. Cores

Quanto às cores para anáguas e forros, vai depender da tonalidade da peça de roupa. Para anáguas, eu aconselho evitar cores claras. Como a anágua é uma peça solta, que provavelmente será usada com roupas das mais variadas tonalidades e estampas, dê preferência para as cores bege escuro ou chocolate, pois são cores coringas que não alteram a tonalidade da peça de cima, mesmo se usada com roupas feitas em tecidos brancos. A pior cor para anágua é a cor branca, pois ela tende a acentuar a transparência do tecido. Para os forros, você pode utilizar um tecido de tom próximo ao seu vestido/saia/blusa/blazer etc., porém, de qualquer forma, no caso de saias e vestidos, segue o mesmo conselho para as anáguas: evite utilizar cores claras, a menos que o tecido seja bem opaco.

Espero que este post tenha esclarecido algumas questões acerca de forros e anáguas. Se você tiver alguma dúvida ou mesmo sugestão acerca desse assunto, deixe nos comentários!

Salve Maria Imaculada!

Fonte: https://mulhercatolica.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *