O que a Igreja diz sobre cremação?

Curiosidades

Mas espera! Será que católico pode ser cremado? E será que as cinzas podem ser espalhadas por aí? Padre Camilo Júnior voltou no tempo na história da Igreja para responder essa pergunta, feita por um dos leitores do A12.

Em 6 pontos, ele explica todas as informações sobre o assunto. Confira!

1. Na maior parte de sua história, a Igreja Católica somente permitiu o enterro como destino do corpo após a morte, vendo que esta seria a prática melhor para representar a esperança na ressurreição.

2. Principalmente após a revolução francesa, no século XVIII, a Igreja intensificou a proibição de se cremarem os corpos dos cristãos, pois, durante aquele período houve uma grande campanha contra a fé cristã, propagando a cremação dos corpos num contexto onde se queria destruir a fé na vida eterna e, principalmente, onde se queria destruir a doutrina da Igreja Católica sobre a vida após a morte.

3. Concílio Vaticano II deu novas orientações para os católicos que desejassem ter seus corpos cremados após a morte. A Igreja entende que a cremação, em muitas situações, se faz necessária, principalmente em lugares de grande população, onde não há espaço suficiente para o sepultamento dos corpos.

4. Porém, mesmo orientando que a cremação é uma possibilidade digna de destino dos corpos dos católicos após a morte, a Igreja ensina que as cinzas não podem ser espalhadas em matas, no mar, divididas ou mesmo mantidas em casa, mas sim devem ser guardadas num lugar sagrado e aprovado pela Igreja, seja nos cemitérios ou espaços próprios criados para este fim.

5. A conservação das cinzas num lugar sagrado é importante para se manter a memória dos fiéis falecidos pelos seus familiares. É importante ter um lugar onde se possa reverenciar e rezar a memória daqueles que caminharam entre nós e agora vivem no céu, na morada do Eterno Pai, principalmente no dia de Finados, onde fazemos memória de todos os fiéis falecidos. Ir a um local onde se possa acender uma vela ou depositar uma flor é importante para não afastar a memória dos falecidos da recordação dos parentes e da comunidade cristã.

6. Porém, mesmo orientando que a cremação pode ser feita, a Igreja aconselha que, onde seja possível o sepultamento dos corpos, que assim seja feito, como recordação do próprio Cristo, cujo corpo foi colocado no sepulcro, e memória também de todos os primeiros cristãos mártires, cujos corpos eram sepultados nas catacumbas, sendo mais conhecidas as de São Calixto, em Roma.

Fonte: A12

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *