Inaugurado painel na Igreja do Calvário em memória dos falecidos pela COVID-19

Pandemia

Líderes religiosos, entre os quais o cardeal Odilo Pedro Scherer, arcebispo de São Paulo, participaram da inauguração da obra feita pelo artista de street art Eduardo Kobra

Na manhã de quinta-feira, 6 de maio, o cardeal Odilo Pedro Scherer, arcebispo metropolitano, participou da inauguração de um grande painel, executado pelo artista de street art Eduardo Kobra, nos muros da Paróquia São Paulo da Cruz – Igreja do Calvário, na Rua Henrique Schaumann, em Pinheiros, zona Oeste da capital paulista.

Com o objetivo de homenagear aqueles que perderam suas vidas em decorrência do coronavírus, a obra, intitulada “Coexistência – Memorial da fé e por todas as vítimas da COVID-19”, retrata crianças de cinco diferentes religiões, todas elas de máscara, cada uma com o símbolo de sua confissão, como quem oferece uma oração pelo fim da pandemia.

A intenção é representar a humanidade unida, independentemente do credo, em torno de uma situação que atinge a todos, em todos os lugares.

Além de dom Odilo, o evento contou com a presença do próprio artista que executou a pintura do painel, Eduardo Kobra; do chefe de gabinete da Subprefeitura de Pinheiros, Felipe Américo Pita; e de diversos líderes religiosos, entre eles o rabino da Congregação Israelita Paulista, Michel Schlesinger; o sensei da Comunidade Zen Budista, Monge Ryozan; o vice-presidente da União Nacional das Entidades Islâmicas, Sheik Jihad Hammadeh; o Mestre Espiritual Herdeiro da Linhagem de Yogues Indianos Sachcha, Siri Prem Baba; a representante do Candomblé, Mãe Carmem de Oxum;

Clamor a Deus pelo fim dos males da pandemia

O evento foi aberto e conduzido pelo padre Norberto Donizetti Brocado, CP, pároco, e contou também com a presença do Superior Provincial dos Passionistas, padre Leudes Aparecido de Paula, CP, que, além de agradecerem a presença de todos, ressaltaram a necessidade de cada cidadão fazer a sua parte, por meio do respeito ao isolamento social, além da observância contínua do uso de máscara, do álcool em gel, do distanciamento adequado e da recepção da vacina.

Logo após a remoção do grande tecido que cobria a obra, todos os líderes religiosos foram chamados, um a um, a fazer uma oração, em nome de sua confissão, como um clamor a Deus pelo fim dos males da pandemia.

Ao tomar a palavra, o arcebispo de São Paulo saudou a todos, pediu-lhes que se unissem em oração por aqueles que sofrem as consequências da COVID-19 e dirigiu sua prece, pedindo as bênçãos de Deus sobre toda a humanidade, de modo especial pelos que estão com essa doença, por seus amigos e familiares, profissionais da Saúde envolvidos nos atendimentos, os que se dedicam à pesquisa e produção de medicamentos e vacinas, aos que sofrem as consequências econômicas e da pandemia e aos governantes, para que façam uma boa gestão neste momento de crise.

LEIA A SEGUIR, A ÍNTEGRA DA PRECE PROFERIDA PELO ARCEBISPO DE SÃO PAULO

Senhor, nosso Deus, olha para nós; olha para a humanidade que sofre, de modo particular por todos aqueles que estão nos hospitais, sofrendo muitas enfermidades, sobretudo da COVID-19, tantos que estão com dificuldades de respirar, tantos que estão sedados e inconscientes, esperando superar o seu mal.

Olha para todos aqueles que sofrem juntos com eles: os seus familiares, as pessoas queridas, os amigos, preocupados com a saúde de quem está afetado pelo coronavírus.

Olha para todos aqueles que trabalham com os doentes e por eles, os profissionais da Saúde, os voluntários, todos aqueles que estão dedicados à pesquisa e produção de medicamentos e da vacina.

Olha para todos aqueles que devem administrar, tomar decisões políticas e administrativas. Concede-lhes prudência, bom senso e discernimento para decidir aquilo que é bom, aquilo que é o melhor para este momento.

Olha, Senhor, para todos aqueles que sofrem as consequências da doença, também pela falta de trabalho, falta de dinheiro, falta de comida na mesa, todos os dias.

Concede a todos nós um grande sentimento de atitude, de solidariedade, de fraternidade, para estendermos as mãos a todos aqueles que precisam, doentes, pobres, os deserdados da sorte, todos aqueles que requerem neste momento a nossa ação solidária. Concede a todos nós a alegria de ver restabelecidos os doentes, a superação deste momento difícil que estamos atravessando, e concede a todos os que faleceram a tua luz, a tua vida, como prometeste, que eles vivam junto de ti para sempre. Amém!   

Fonte: O São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *