Cringes com orgulho

Vida & Família

Você se considera cringe? Bom, se você teve que consultar alguém ou algum site de busca para se informar a respeito, talvez seja considerado(a) um(a).

Expressão adaptada do inglês e que significa “vergonha alheia”, a palavra cringe se tornou a nova gíria da geração Z (nascidos entre a metade dos anos 1990 até o início de 2010), que passou a utilizá-la, especialmente nas redes sociais, para definir determinados hábitos considerados antiquados por essa turma mais jovem. A repercussão foi tamanha que as buscas pela expressão no Google aumentaram em 500% nas últimas semanas.

O termo chegou a incomodar, principalmente, alguns jovens da geração Y, os chamados millenials (nascidos entre o fim da década de 1980 e início da de 1990). Tudo isso porque a turma da geração Z começou a classificar como cringe pessoas que tomam café da manhã, usam emoji de risada, pagam boletos, entre outras atividades. “Não há nada mais cringe do que ser fã de Harry Potter e pagar boletos”, disseram alguns internautas nas redes, se referindo ao personagem de uma das maiores sagas de best seller infantojuvenil dos últimos tempos. Não demorou muito para que os millenials revidassem e respondessem tais comentários, afirmando, por exemplo, que o fato de pagar boletos significa que assumiram responsabilidades e não são mais dependentes de “papai e mamãe”.

A questão é que os millenials também já vivenciaram esse momento “não cringe de uma outra forma. A diferença é que eles utilizavam expressões como “pagar mico” – a qual também se referia a vergonha alheia.

Essa expressão teve sua origem a partir de um jogo de cartas, em que os jogadores deviam formar pares de animais, com exceção do mico, que não tem par – e seu alvo eram os nascidos entre meados da década de 1960 e início da década de 1980, constituindo a chamada geração X.

Para os millenials, essa turma “pagava mico” por não estar na rede social Orkut, por não teclar no MSN, serviço virtual de mensagens instantâneas, por escrever “você” e “não”, ao invés de “vc” e “naum” – hábitos que são considerados cringe pela geração Z, que mal os conhece nos dias atuais.

Fonte: A12

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *